Friday, June 15, 2012

Não quebre meu casulo, estou me transformando”

Mudar é repensar o próprio processo de pensar, podendo gerar desconforto, insegurança e apreensão.
Podemos dizer que mudanças significam o momento de questionamento de velhas crenças, pesos inúteis que carregamos ao longo de nossa existência como sentimentos que nos incomodam. É aconselhável adotarmos e exercitarmos inovações que antes achávamos inconcebíveis.

Em todo processo de transformação existirá revisões mesmo que profundas que nos levará a serem vividas, é o descarte das coisas que não fazem mais sentido em nossas vidas, porém não é possível apagar o passado, pois ele faz parte de nossa estória, mas sim aprendermos a administrar as lembranças negativas dentro de um processo de mudança de valores e procurarmos entender que fizemos o nosso melhor e não nos culparmos e culpar o outro, pois hoje quando nos permitimos crescer interiormente levando-nos ao amadurecimento agiríamos diferente.

Mudar poderá gerar a princípio dor que nem sempre é ruim, pois pode significar o sinal de mudanças de valores, falsas crenças, preconceitos etc.
Assim como a lagarta precisa se transformar em borboleta para levantar vôos, espalhando pólen e multiplicando as flores.

Por que não deixarmos que isso aconteça conosco?

Márcia Novelli Fuchs de Oliveira
Psicóloga CRP-06/ 12528-0

Consultório: Rua Costa Aguiar, 1549
Tel: 2914-6624 ou 2061-4726
E-mail: marcia.fuchs@hotmail.com

No comments:

Post a Comment